O Processo de demolição com equipamentos elétricos

A demolição de um edifício é um processo tão importante, quanto qualquer outro processo de construção e deve ser tão bem planejada quanto eles. É necessário que a empresa esteja atenta a todos os riscos associados a esse serviço.

Para assim, conseguir orientar seus funcionários da melhor forma possível, tentando ao máximo evitar qualquer tipo de acidente. Antes da demolição, devem ser retirados todos os equipamentos elétricos.

No caso de prédios, que antes possuíam algum fim industrial, pode ser necessário o uso de um guindaste 100 toneladas, para retirar quaisquer equipamentos mais pesados. Caso haja aparelhos embutidos, como aquecedores, é preciso desinstalá-los.

O transformador de energia deve ser desligado e também, é necessário o corte da energia do local, para garantir que não haja nenhum incidente como choques e até mesmo incêndios.

Conheça os tipos de demolição

Existe mais de um tipo de demolição. Os principais são a mecânica, a manual e a com o uso de explosivos. A  mecânica é aquela que é realizada por equipamentos e ferramentas.

1. Demolição mecânica

Pode ser aplicada, por exemplo, em uma demolição de galpão. Geralmente são utilizadas máquinas de grande e médio porte, tais como; martelos pneumáticos, carregadeiras, escavadeiras e guindaste hidráulico.

Este tipo de demolição, pode ser usado para a retirada total ou parcial de estruturas metálicas, construções, estruturas de madeira e entre outros.

É vantajoso nos aspectos de rapidez na realização do serviço, necessidade de menor mão de obra (embora esta precise ser altamente especializada), maior capacidade de demolição e preço inferior ao tipo de demolição manual.

No entanto, esse método possui algumas desvantagens próprias, como:

  • Grande risco de acidentes devido ao porte dos equipamentos;
  • Produção de muita poeira;
  • Produção de ruídos altos;
  • Necessidade de um solo firme e estável, o que muitas vezes, não é possível;
  • Exigência de mão-de-obra altamente especializada;

Risco de dano as máquinas, pois a construção a ser demolida pode apresentar instabilidades não previstas, fazendo com que a máquina em uso possa não suportar a tarefa.

Existe também a com o uso de explosivos ou implosão. Essa técnica usa de explosivos, para eliminar os principais elementos de apoio do prédio ou de qualquer outra estrutura a ser demolida.

É, geralmente, usado para derrubar grandes estruturas em áreas urbanas, como arranha-céus e pontes. Esse método, exige um estudo minucioso e específico sobre a estrutura a ser demolida.

Pois, é a partir dos resultados dessa pesquisa, que serão definidos os locais para a colocação dos explosivos, o tipo de explosivo mais indicado para a situação e também o tempo de implosão.

Uma equipe altamente especializada, é exigida para esse tipo de serviço, de modo a evitar quaisquer acidentes e danos adicionais que podem ser causados pelos explosivos.

As explosões devem acontecer de forma sequencial, para que o procedimento ocorra corretamente e não haja o risco de um desabamento, desordenado e inesperado.

2. Demolição manual

Finalmente, a demolição manual é feita. Este método, é geralmente utilizado quando existe a necessidade de cuidado para com a estrutura a ser demolida

Como, por exemplo, quando se tem a intenção de reaproveitar o material retirado da estrutura em outros locais. Esta técnica de desconstrução, é considerada uma demolição sustentável.

Pois, permite a reutilização de materiais, evitando seu descarte e a consequente formação de resíduos que causam impactos negativos ao meio ambiente.

É necessário o uso de equipamentos adequados

Qualquer que seja o método utilizado, é importante sempre estar atento às normas de segurança, de modo a evitar qualquer tipo de acidente ou fatalidade.

O uso de EPI ou Equipamento de Proteção Individual, é estritamente necessário dentro de qualquer obra, mas principalmente em obras de demolição, onde há maior risco de acidentes devido a própria instabilidade do processo.

Vale relembrar que, antes de efetuar a demolição, seja ela feita com explosivos, manualmente ou com tratores, é preciso se certificar de que a energia do local foi totalmente cortada.

Desse modo, não há o risco de o processo de desconstrução abalar o sistema elétrico, fazendo com que possam ocorrer incêndios decorrentes de curtos-circuitos ou choques causados por fios, que ficam expostos após a demolição.

Uma boa maneira de confirmar que o corte de energia foi realmente efetuado, é testar o auto transformador, com o auxílio de algum aparelho capaz de medir a corrente elétrica.

Quando esta for nula, é possível concluir que não existe mais uma corrente elétrica percorrendo o sistema do prédio, o que possibilita o início do processo de demolição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *