Esteja por dentro do grande mercado da construção civil

Para manter a produtividade em seus diversos canteiros de obras, o setor da construção civil necessita de peças e produtos que auxiliem nesse processo, além de manter a relação custo-benefício. Com características de melhor preço, possibilidades de reutilização e facilidade no manuseio, há ferramentas que, quando bem aplicadas, contribuem ao planejamento e cronograma do setor em favor do seu grande mercado.

Além de ser um dos principais produtos utilizados para a construção civil, o tijolo pode ser considerado também o material mais antigo do setor. Com primeiros vestígios que datam de 7.500 a.C., o tijolo construiu – literalmente – momentos importantes da História. Fez parte de construções, por exemplo, no Antigo Egito, Império Romano, Período Renascentista e do estilo artístico Barroco.

Mas, foi só na Revolução Industrial em que seu comércio foi amplamente expandido. Com a troca dos métodos de produções artesanais pelas produções feitas a partir das máquinas, o processo de fabricação tornou-se mais ágil e mais barato. E então, o uso do tijolo foi generalizado e, até hoje, é fundamental – seja para diversos tipos de construção, de todos os portes ou reformas.

Atualmente, existem vários tipos de tijolos em que, cada qual, possui suas especificidades. Em sua maioria, são produzidos a partir de: argila (o mais comum), argila xistosa, silicato de cálcio ou cimento.

O material em que é feito, o formato, a espessura e tamanho estabelecem o seu uso. No Brasil, o tipo mais utilizado é o tijolo baiano

O tijolo baiano preço pode ser chamado também de tijolo furado (por causa dos furos nas peças que podem variar entre quatro, seis ou oito). O principal fator para ser um dos mais utilizados refere-se ao seu baixo custo produtivo, que o torna o tipo mais barato do mercado. Entretanto, ele se restringe a ser usado apenas como vedação pois não suporta cargas estruturais. E, apesar do seu índice significativo de quebras, o elevado desempenho térmico que exerce, em uma construção, o compensa. Sua termicidade é explicada pelas ranhuras (contidas em volta do tijolo) que permitem a melhor aderência da argamassa.

O outro produto bastante utilizado no setor da construção é o palete de contenção. Como seu próprio diz, sua principal funcionalidade é conter vazamentos em tambores e bombonas. O principal material para a fabricação desses paletes é o polietileno (um dos plásticos mais atuantes no setor industrial).

Os paletes de polietileno são produzidos através da rotomoldagem – processo responsável por transformar termoplásticos em materiais viscosos (quando submetidos ao aquecimento) a ponto de serem conformados e moldados. Dessa forma, acaba por permitir a esse tipo de palete a retenção de produtos químicos e nocivos como líquidos inflamáveis e combustíveis, corrosivos, ácidos e qualquer dos seus semelhantes.

Portanto, o palete de polietileno contribui com a redução e com a prevenção de custos, das seguintes formas: ao evitar o desperdício desses produtos (além de permitir a sua reutilização) e ao impedir a contaminação do solo e, consequentemente, o pagamento de multa.

Por que utilizar mourões?

Para encerrar, a utilização do mourão é recorrente nesse setor. O mourão para cerca são peças pré-moldadas em concreto, numa espécie de estaca de concreto, utilizadas para o cercamento de propriedades em áreas residenciais, rurais ou industriais. Essas estacas são fincadas perpendicularmente ao solo com distância de, aproximadamente, dois metros e meio entre si. Posteriormente, são amarradas telas ou arames ou são colocadas placas de madeira para fazer a cerca.

Há cinco tipos de mourão que são denominados: reto, esticador reto, curvo, esticador curvo e escora. Em todos, há variações de altura e base. Nos tipos curvo e esticador curvo, ainda há a variação ao tamanho da curva. Os modelos esticadores reto e esticador curvo servem para ser utilizados a cada dez mourões. Um mourão com esticador serve para reforçar e travar a cerca ou alambrado e evitar que este perca a sua verticalidade (prejudicando a sua função primordial).

Independente de qual modelo, são muito utilizados pelas vantagens que apresentam, como:

  1. a sua durabilidade;
  2. a sua resistência;
  3. por ser considerado aplicável a qualquer tipo de terreno e solo;
  4. são facilmente instalados, garantindo a segurança da propriedade;
  5. da mesma forma, podem ser removidos sem dificuldades;
  6. e pela grande facilidade em removido, permite a reutilização e reaproveitamento de forma eficaz, uma vez que não há danificações na peça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *