Construção civil usa IoT e faz surgir nova geração de edifícios inteligentes

Os edifícios inteligentes já estão entre nós e cada vez mais estarão aliados à IoT, sendo o padrão a ser seguido na construção civil sustentável

Aliando a tecnologia à construção civil, os chamados edifícios inteligentes são capazes de se conectar com uma variedade de sistemas integrados e compartilhar informações, com o objetivo de otimizar o desempenho total das construções, proporcionando segurança, economia e redução de impactos ambientais com a contenção de desperdícios de recursos.  

Impulsionada, principalmente, pela crescente demanda por sistemas de segurança integrados e pelo aumento de investimentos por parte de iniciativas privadas e governamentais que buscam projetos de construção eficientes, uma nova geração de condomínios está utilizando a tecnologia da Internet das Coisas (IoT) para construir prédios inteligentes que atendam critérios de gestão e sustentabilidade.

Para a diretora de operações da Alert System, Ana Flávia Rodrigues de Faria, que esteve presente na conferência internacional promovida pela United Technologies no UTC Center for Intelligent Buildings, na Flórida, uma das maiores neste segmento, a nova geração de edifícios inteligentes já é realidade em alguns países e é uma tendência que deve se fortalecer no Brasil.

Segundo a executiva, já existem condomínios que estão sendo construídos com essa preparação para receber o uso de sensores, plataformas de comunicação e ferramentas de produtividade por aqui.

“No Brasil, já existem algumas construções inteligentes com alto nível de tecnologia, tais como, sistemas de monitoramento por câmeras com recursos de vídeo analíticos, reconhecimento facial, controle de intrusão e objetos abandonados, bem como, contagem de pessoas. Além disso, já existem sistemas de prevenção e combate a incêndio com dispositivos e softwares mais inteligentes e precisos”, indica Ana Flávia.

Ainda segundo Ana Flávia, outra novidade são os sistemas de controle de acesso que permitem o cadastro de visitantes remotamente via aplicativos, onde o visitante recebe em seu smartphone um QR Code, liberando seu acesso pelas catracas da recepção, sem a necessidade de entrar em filas de atendimento. 

“Neste formato, o controle de acesso é interligado com a automação dos elevadores, que faz a chamada e direciona o convidado automaticamente para o andar a ser visitado. Toda essa tecnologia embarcada no empreendimento acaba oferecendo ao usuário: segurança, praticidade e conveniência como nunca visto antes”, explica Ana Flávia.

A Internet das Coisas (IoT) permite que sistemas operacionais transmitam informações mais precisas e úteis para fornecer as melhores experiências para os inquilinos, e está promovendo transformações que devem impactar diversos segmentos.

A chegada de soluções com a utilização de alta tecnologia visando o ganho de produtividade, segurança e prevenção de riscos é coisa do presente.

De acordo com um relatório realizado pela consultoria americana MarketsandMarkets em 2017, os investimentos no mercado de edifícios inteligentes devem crescer a uma taxa anual composta de 33,7%, chegando a U$ 31,74 bilhões até 2022.

Fonte: Jornalística Media Relations

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *