Tipos de sondagem de solo

Ao iniciar qualquer obra de construção civil, o primeiro procedimento a ser adotado é a realização da sondagem de solo.

Que nada mais é do que uma análise de características essenciais da terra onde a obra será realizada, como a espessura do material, identificação de presença do lençol freático, entre outros componentes essenciais para realização dos cálculos estruturais necessários.

A sondagem pode ser feita por diferentes procedimentos, que visam observar características do solo analisado. Mas antes de entender melhor sobre os tipos de sondagem, é essencial conhecer os tipos de solos existentes.

Tipos de solos

Os solos podem ser classificados em quatro categorias:

  • Solo argiloso;
  • Solo humoso;
  • Solo arenoso;
  • Solo calcário.

O solo argiloso como o próprio nome sugere é composto de argila e concentra boa quantidade de nutrientes. É um tipo de solo impermeável.

O solo humoso é o mais indicado para plantação, pois apresenta índice elevado de nutrientes. É bastante permeável.

O solo arenoso é permeável e a maior parte de sua composição é feita de areia.

Esse tipo de solo não possui muita estabilidade e terreno pode se movimentar conforme tenha contato a água. Também não costuma ter muitos nutrientes.

O solo calcário é composto por fragmentos de rochas. É seco e inadequado para agricultura.

Uma simples coleta de solo para análise pode identificar qual tipo compõe o terreno a ser trabalhado.

Após conhecer os tipos de solo, já é possível entender melhor as classificações de sondagens existentes para fazer estudos mais profundos sobre o local onde será efetuada a construção.

Tipos de sondagem

Os métodos de sondagem podem ser divididos em:

1. Sondagem de percussão

Este é procedimento de análise mais comum, que visa o reconhecimento mais simples do terreno.

Pode utilizar duas ferramentas para sua realização, o treno ou trepano de lavagem, que nada mais são do que medidores adequados para a situação.

Durante o processo, aproveita-se os instrumentos para fazer a sondagem spt, para medir a resistência do terreno.
Sondagem rotativa

Se no decorrer da sondagem de percussão, for identificada a presença de rochas, torna-se necessária a adoção de outro modo de análise, a sondagem rotativa, que utiliza equipamentos adequados para fazer a perfuração da rocha e verificar a sua qualidade.

Estudos mais específicos da rocha, como a medição de sua resistência, precisam ser feitos em exames mais adequados.

Uma busca dos termos “análise laboratório” pode indicar bons locais para realização do processo.

2. Sondagem mista

É a técnica de análise que mede de uma só vez a qualidade do solo e das rochas no local.

Esse processo consegue fazer medições ainda mais precisas da rocha, como o grau de alteração e a xistosidade do minério.

Ainda no quesito de análise de superfícies, mas saindo do âmbito da construção civil e indo para o terreno da agricultura.

Além dos processos de sondagens no solo, a estaca metálica é um equipamento muito importante no processo de perfuração.

A fertilidade no solo

É possível verificar as condições de um item muito importante: a fertilidade de solo, que se caracteriza pelo fornecimento de nutrientes da terra para as plantações.

Alguns solos são pobres em nutrientes, por isso é necessário o uso de fertilizantes para fornecer os elementos deficientes.

Existem alguns tipos de fertilidade do solo, de acordo com seu nível natural ou grau de manipulação humana na superfície em questão, tais quais:

  • Fertilidade natural;
  • Fertilidade atual;
  • Fertilidade potencial.

O primeiro item diz respeito à condição natural do solo. É aquele que nunca recebeu nenhuma intervenção.

A fertilidade atual é a que sofreu ação humana para aumentar os nutrientes.

Já a potencial é aquela que está sob influência de alguma variedade específica, que impede o solo de fornecer para as plantas tudo que poderia.

Determinados elementos, que vão desde características naturais do solo até a ação humana, podem prejudicar a fertilidade do solo. São elas:

  • Excesso de manipulação da terra;
  • Uso abusivo de adubo químico;
  • Utilização de fertilizantes em doses inadequadas;
  • Salinização pelo uso incorreto de nutrientes;
  • Acidez do solo.

Para corrigir os problemas de falta de nutriente nos solos, um recurso bastante adotado pelos agricultores é o uso de fertilizantes, que podem ser divididos em macronutrientes.

Que são os nutrientes absorvidos em grandes quantidades pelas plantas, como o carbono e o nitrogênio; e os micronutrientes, que são os elementos absorvidos em menores quantidade, como ferro e cobalto.

Os fertilizantes se classificam em:

  • Minerais;
  • Orgânicos;
  • Mistos.

Os fertilizantes minerais são compostos por potássio, nitrogênio e fósforo.

Os orgânicos são constituídos de matéria orgânica, como esterco e alguns tipos de resíduos. Recebem tratamento especial antes de serem utilizados como adubo.

Os fertilizantes mistos são a combinação do nitrogênio, fósforo e potássio em um único produto.

Os usos do solo, seja para construção civil seja na agricultura, requerem antes da utilização uma efetiva análise de suas propriedades para considerar as características de sua composição.

Dessa forma, será possível fazer uma utilização adequada da superfície.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *