Construção residencial e os produtos utilizados

Construir uma casa na cidade, no campo ou, até mesmo, fazer uma reforma geral em um apartamento é algo que demanda planejamento: com um projeto bem feito e, indispensavelmente, um orçamento que esteja de acordo com os proventos destinados à construção.

No entanto, por mais que haja variáveis, como acabamentos e revestimentos – que podem ser escolhidos com os mais variados preços – , existem materiais primordiais para se “levantar as paredes” e criar uma estrutura bem segura.

Ao final da obra, também é importante pensar em itens que vão deixar a casa em mais segurança, como a instalação de arame farpado.

A construção de qualquer edificação pode ser resumida em quatro etapas:

  • a estrutura;
  • a alvenaria;
  • a cobertura;
  • o acabamento.

Diante disto, cada etapa vai agregar um tipo de material. Todo o cronograma da obra deve ser desenhado junto com os construtores – sejam eles pessoas físicas, os “mestres de obra” ou a empresa de engenharia.

Este cronograma vai levar em conta a entrega dos materiais, onde armazená-los, bem como a forma com que eles serão utilizados no desenvolvimento do projeto.

Isso é imprescindível para evitar o desperdício e, inclusive, preservar a qualidade do material a ser empregado na construção. Esse cronograma deve constar, inclusive, qual tipo de portão vai ser utilizado na casa, como o portão articulado, por exemplo.

Passo a passo de uma obra residencial

Na etapa de estrutura, serão utilizados materiais responsáveis por sustentar e estabilizar a edificação. É também conhecida como a fundação ou o esqueleto do que vai ser construído.

Ao passo que, tradicionalmente, utiliza-se ferragens e concreto para montar a fundação, colunas, lajes e vigas, também existe, atualmente, o uso de estruturas metálicas nas construções residenciais (veja abaixo).

São imprescindíveis: cimento, argamassa, blocos de concreto, areia, brita, formas de madeira, vergalhões, pregos, escoras, além de equipamentos e ferramentas de construção civil, como betoneiras, furadeiras, britadeiras, etc.

A alvenaria é a fase em que são erguidas as paredes ou muros. Elas podem ser feitas a partir do uso de tijolos de cerâmica, de blocos de concretos ou, até mesmo, de pedras, contato que formem uma estrutura de “preenchimento” da estrutura.

Vale destacar que o cimento, a areia, os vergalhões, além de tubos de PVC, caixas de luz e quadro de distribuição, fazem parte desta etapa.

Feita a etapa de alvenaria, é hora de cobrir a edificação. É importante destacar que nem sempre está na ordem cronológica, já que o construtor pode fazer o teto para depois finalizar as paredes.

Enfim, nesta fase utiliza-se as telhas de cerâmica, de amianto ou de plástico, como é possível encontrá-las.

A cobertura é que vai garantir o controle térmico, a depender do material que for utilizado – telhas de cerâmica são mais frescas do que de amianto, por exemplo , e acústico, também variando conforme o que é usado na empreita.

É na cobertura que também são embutidos alguns aspectos hidráulicos, como o sistema de calhas, para captar e canalizar a água da chuva, os rufos e os rincões.

Por último, e a mais variável etapa, é a fase de acabamento, que pode incluir itens fundamentais, mas também uma dezena de produtos que podem ser retirados do cronograma, a depender da disposição financeira do responsável.

Aqui é que são usados os revestimentos, os forros abaixo do telhado – PVC, gesso, madeira -, porta, janela, e, entre vários itens, a pintura.

Finalizado tudo isso, chega a hora de definir detalhes da segurança da residência.

Nos casos em que vai ser feita a instalação de um portão, por exemplo, tem que verificar se há a necessidade de colocar arame farpado preço ao redor, que dificulta a entrada de pessoas indesejadas.

Estrutura metálica residencial

Uma estrutura que já era muito utilizada em obras comerciais, como depósitos, galpões e alguns tipos de edifícios corporativos, as colunas e vigas metálicas tem se tornado cada vez mais comuns no universo da construção civil.

Isso porque ela reúne aspectos de sustentabilidade e eficiência da construção.

A utilização deste tipo de estrutura, apesar de apresentar, muitas vezes, um custo mais elevado do material, apresenta, em contrapartida, uma infinidade de vantagens que podem ficar equiparadas ou até superiores ao investimento maior desempenhado.

Entre as vantagens está a qualidade da construção, a redução do prazo da obra, já que se utiliza de estruturas praticamente prontas que são encaixadas de acordo com o projeto e fundação, a flexibilização do projeto, à medida em que a readequação se torna mais fácil – é menos complexo trabalhar com as estruturas metálicas do que, por exemplo, eliminar ou demolir uma coluna ou viga, por exemplo.

Além disto, a estrutura metálica residencial apresenta organização e limpeza para a obra. Isso se deve ao fato do material ser reduzido e menos sujeito a gerar entulhos ou rejeitos. Com isso, reduz-se também os impactos ambientais gerados pela construção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *