3 ações essenciais para a segurança de uma obra

Para que uma construção civil saia de maneira correta, é preciso planejamento de obra. Isso envolve não apenas o passo a passo do que deve ser feito, mas abrange desde o respeito pelas normas da engenharia civil até a higienização dos ambientes prontos, como espaços e até mesmo a limpeza de cadeiras estofadas e outros móveis.

É claro que para planejar as etapas de uma construção, é necessário contratar profissionais especializados e que entendam do assunto. Assim, é possível definir desde materiais até prazos. Além disso, a segurança de uma construção depende desse planejamento inicial.

De maneira resumida, para que esse planejamento esteja coerente, é preciso que ele contenha:

  • Cronograma de atividades;
  • Valores que podem ser gastos;
  • Estudos de mercado e viabilidade;
  • Regularização e permissão da obra;
  • Contratação de funcionários;
  • Acompanhamento da obra;
  • Diário da obra para análise posterior;
  • Análise da obra pronta;
  • Ajustes;
  • Entrega.

Dessa forma, para que todos esses pontos sejam respeitados, algumas atividades precisam ser feitas. É sobre elas que falaremos no artigo de hoje.

1. Laudo de estanqueidade de gás

O laudo de estanqueidade de gás é extremamente importante para a comprovação de que determinado local está em segurança. Isso porque, ele tem a função de comprovar que as tubulações do ambiente não apresentam vazamentos.

Também chamado de teste de estanqueidade, ele é a forma mais confiável de se ter certeza de que o local não apresentará problemas relacionados a isso.

Todas as tubulações são verificadas, individualmente, para se ter certeza de que de tudo está correto. Esse laudo é feito por empresas especializadas nesse assunto.

A norma que regulariza essa atividade é a NBR 15.526. A partir de todas as etapas e análises, um relatório é emitido, demonstrando as características e o que deve ser ajustado. Isso evita acidentes que podem ser graves e letais.

Esse relatório é chamado de Anotação de Responsabilidade Técnica, em que se garante que o espaço está pronto para uso. Essa anotação também descreve, em detalhes, todos os locais avaliados. Esse laudo deve ser realizado em prédios comerciais, residências, indústrias e prédio públicos.

A validade desse laudo é de 12 meses, sendo necessária uma nova guia a cada ano. Caso haja algum dano aparente na tubulação, esse prazo pode diminuir e a manutenção deve ser feita mais rapidamente.

2. Instalação de sprinklers

Os sprinklers são estruturas metálicas leves que são instaladas no teto dos estabelecimentos para atuarem em caso de incêndios.

Eles são acionados quando há uma temperatura alta no ambiente, que faz com que a cápsula interior seja rompida e a água seja liberada. Assim, esses materiais são uma das formas mais simples, econômicas e eficientes para o combate de incêndios.

Um de seus benefícios que é ele não depende da ação humana para funcionar. Apenas com o aumento da temperatura ele pode ser acionado, o que faz com que o incêndio seja combatido de forma mais rápida. Escolas, hospitais e prédios comerciais normalmente contém esse equipamento.

Quando o sprinkler é acionado, a água cai de forma circular, alcançando o máximo de espaço possível. Porém, mutias vezes, apenas um desses objetos não é o suficiente, sendo necessário instalar outros. Por isso, no momento de uma obra, pensar nesses detalhes é essencial.

3. Normas de segurança

As normas de segurança da construção civil são diversas e muito importantes. São elas que possibilitam que a obra seja feita de maneira correta e evitam acidentes futuros.

Num geral, são 36 normas regulamentadoras, criadas pelo Ministério do Trabalho, em que a maioria delas se referem à construção civil.

Uma das principais é a NR 6, que fala sobre a obrigatoriedade e a importância da utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) dos funcionários da obra. Capacetes, roupas específicas, óculos e proteção de ouvido são apenas alguns deles.

Já a NR 18 fala sobre as medidas de segurança necessárias em determinadas atividades, como demolições, soldagens e instalações elétricas.

Essa norma fala, também, a forma correta de realizar esses procedimentos, fazendo com que os trabalhadores tenham mais segurança no dia a dia.

A NR 35 fala sobre a importância de segurança nas alturas e como os funcionários precisam se prevenir de acidentes.

Para concluir

Essas três questões detalhadas acima devem estar presentes no planejamento e precisam ser levadas muito a sérios. Isso porque, elas oferecem consequências positivas tanto para quem está trabalhando na obra quanto para o futuro da construção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *