O que levar em consideração ao iniciar uma obra?

Para construir ou reformar um imóvel, seja ele de pequeno, médio ou grande porte, é fundamental conhecer todas as etapas da obra, bem como a sequência de atividades. Isso deve ser feito desde a contratação de fornecedores e compra de materiais, até o processo de terraplanagem de terreno e a limpeza final para a entrega da construção.

Por esse motivo, é imprescindível ter em mãos um projeto completo, detalhando todos os pormenores e os principais aspectos que envolvem a obra.

Sendo assim, o primeiro passo a se fazer em uma construção ou reforma é o projeto de arquitetura.

Nele, constam as demandas que envolvem a obra, como a quantidade de materiais e pessoas envolvidas no serviço, o custo dos produtos e equipamentos, o cronograma e o tempo de execução de cada etapa, além do desenho da estrutura, que é a base para a construção.

Normalmente, o projeto arquitetônico é elaborado por uma empresa de engenharia civil e arquitetura, por profissionais devidamente habilitados e qualificados.

Com isso, tem-se uma estrutura que atende todos os pré-requisitos e, ainda, seja desenvolvida em conformidade com as necessidades e desejos do cliente.

Afinal, a construção deve seguir não só os padrões técnicos, mas também, ter personalidade.

É importante ressaltar que na fase de elaboração do projeto de arquitetura, é indispensável o cumprimento de todas as legislações e normas de segurança.

Por exemplo, dependendo da obra, pede-se a anexação do RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) ou ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), além dos documentos do proprietário e documentos do imóvel (IPTU, matrícula ou escritura do terreno, entre outros), certidão negativa de débitos com a Prefeitura Municipal e o protocolo das documentações.

Projetos de arquitetura especiais para comércios e outros estabelecimentos

Para alguns imóveis, principalmente os comerciais, ou com grande tráfego de pessoas, é necessário pensar em um projeto de arquitetura que atenda à demanda de trânsito e, ainda, ofereça comodidade às pessoas que irão até o local.

Por esse motivo, muitos planejamentos incluem a construção de plataformas elevatórias ou rampas, próprias para o acesso de pessoas com dificuldade de locomoção e com deficiência física.

Nestes casos específicos, é necessário também orientar quanto à presença dessas estruturas com a placa de acessibilidade. O item é obrigatório em ambientes públicos, onde há uma movimentação e aglomeração de pessoas e, além dos deficientes físicos, há placas que contemplam deficientes visuais também, com informações em braile.

Ademais, existem projetos de arquitetura para espaços comerciais que são elaborados para pensar o melhor aproveitamento de espaço.

Nesse sentido, desenvolvem-se construções com mezanino simples, que é uma estrutura projetada para oferecer acesso a um andar intermediário entre o térreo e o andar superior da construção.

O mezanino e fica entre o chão e o teto, mas sem formar um andar paralelo na construção. Ele pode ser construído em:

  • Madeira;
  • Concreto;
  • Alvenaria;
  • Aço e ferro.

A palavra “mezanino” tem origem italiana, de mezzanino, que significa meio. Em geral, a estrutura é interligada aos andares por meio de uma escada.

Projetos específicos para segurança e prevenção dos imóveis

Alguns imóveis devem ser projetados com sistemas de prevenção e segurança, especialmente, contra incêndio.

Os edifícios são os que mais merecem destaque, bem como os estabelecimentos comerciais, que precisam seguir corretamente todas as especificações e recomendações vigentes.

Dependendo da estrutura, é recomendável – inclusive – a aquisição do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiro), que atesta as condições do imóvel para a prevenção contra incêndios.

Entre um dos principais sistemas, os projetos de arquitetura orientam a instalação de sprinklers, que são semelhantes aos chuveiros e podem ser acionados na detecção de fumaça ou fogo. O dispositivo funciona de maneira simples, porém é extremamente eficiente no combate à propagação de chamas.

De maneira resumida, o bico do sprinkler é rosqueado a uma tubulação hidráulica pressurizada, mas ele permanece fechado, até a detecção de fumaça ou fogo.

As roscas utilizadas nos sprinklers são de ½” ou ¾” NPT, de alta resistência e durabilidade. Quando um incêndio é iniciado, os dispositivos são acionados e a água pressurizada é liberada, para ajudar no combate ao fogo.

O sistema de prevenção e combate a incêndio também podem ser incrementados com a instalação de alarmes, extintores, mangueiras e avisos de segurança nas saídas emergenciais.

Todos os detalhes estão descritos nas normatizações do Corpo de Bombeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *